Mestre Bimba e a Capoeira Regional

Como surgiu e porquê

A Capoeira que aprendeu Mestre Bimba do seu Mestre era uma Capoeira antiga que tinha perdido muita movimentação e efetividade. Com o passar do tempo ela não tinha mais de nove movimentos.

Nessa época a Capoeira era perseguida e castigada, era coisa de gente pobre, era considerada pratica de delinqüentes e malandros. Não tinha didática nenhuma e se ensinava no jogar, isso claramente não ajudava para respeitar ela o preservar ela no tempo.

Mestre Bimba disse:

Naquele tempo, Capoeira era coisa para carroceiro, trapicheiro, estivador e malandros. Eu era estivador, mas fui um pouco de tudo. A Polícia perseguia um capoeirista como se persegue um cão danado. Imagine só que um dos castigos que davam a capoeiristas que fossem presos brigando era amarrar um punho num rabo de cavalo e o outro em cavalo paralelo; os dois cavalos eram soltos e postos a correr em disparada até o quartel. Comentavam até, por brincadeira, que era melhor brigar perto do quartel, pois houve muitos casos de morte. O indivíduo não aguentava ser arrastado em disparada pelo chão e morria antes de chegar ao seu destino: o quartel de polícia..”

Ainda aluno do Mestre Bentinho ele começou a trabalhar na ideia de adicionar movimentos do Batuque na Capoeira e de criar um sistema didático para essa arte e luta que lhe apaixonava, a Capoeira.

Cronograma da Fundação da Capoeira Regional

  • 1928

Depois de muito trabalho o conceito que a gente tinha da Capoeira e dos seus praticantes começou a mudar. Neste ano Mestre Bimba teve a oportunidade de fazer uma apresentação no palácio do governante de Bahia, em aquele tempo o Juracy Magalhães.

  • 1930

Levantou-se a proibição da prática da Capoeira e junto com ela a muitas outras manifestações da cultura negra.

  • 1932

Esse sucesso levou o Mestre a abrir a sua academia em 1932, a primeira academia de Capoeira que chamou Centro de Cultura Física e Luta Regional. Ele decidiu de não usar a palavra Capoeira no nome da academia porque ainda existiam muitos preconceitos pela Capoeira na sociedade baiana e a ideia da delinquência ainda se associava na Capoeira.

  • 1937

Academia de Mestre Bimba oficialmente reconhecida pelo governo e registrada como a Primeira Academia Oficial de Capoeira do Brasil

  • 1939

Mestre Bimba começou a ensinar Capoeira às Forças Armadas, dando aulas aos recrutas no CPOR (Centro de Preparação de Oficiais da Reserva).

  • 1942

Mestre Bimba abre sua 2ª Academia no Terreiro de Jesus na Rua das Laranjeiras. Esta academia ainda está aberta hoje.

  • 1953

Mestre Bimba é convidado a dar uma demonstração de sua Capoeira Regional ao presidente Getúlio Dorneles Vargas no Palácio da Aclamação, em Salvador. O presidente teria dito que a Capoeira era:

a única colaboração autenticamente brasileira à educação física, devendo ser considerada a nossa luta nacional

Regulamento e normas

Mestre Bimba criou um centro de aprendizagem de Capoeira, uma das suas metas era que a sociedade respeitasse essa grã arte. Por isso e para evitar problemas dentro da academia ele fiz um regulamento pela boa convivência.

Os alunos tinham que chegar na academia de branco para mostrar o grau de competitividade da escola, mais ele sabia que isso não bastaria para acalmar o clima e escreveu o:

Regulamento da Academia De Mestre Bimba.

Este Regulamento foi elaborado para Você e em seu beneficio. Lembre-se que você ira praticar EDUCAÇÃO FÍSICA e adquirir preparo físico básico, mola mestra para a prática eficiente de qualquer esporte. O Mestre Bimba e seus colegas mais velhos só tem um desejo: torná-lo melhor no prazo mais curto.

Regulamento da Academia de Mestre Bimba
Regulamento da Academia de Mestre Bimba
  • Deixe de fumar. É proibido fumar durante os treinos;
  • Deixe de beber. O uso do álcool prejudica o metabolismo muscular;
  • Evite demonstrar aos seus amigos de fora da “roda” de capoeira os seus progressos. Lembre-se de que a surpresa é a melhor aliada numa luta;
  • Evite conversar durante o treino. Você está pagando o tempo que passa na academia; e observando os outros lutadores, aprenderá mais;
  • Procure gingar sempre;
  • Pratique diariamente os exercícios fundamentais;
  • Não tenha medo de se aproximar do oponente. Quanto mais próximo se mantiver, melhor aprenderá;
  • Conserve o corpo relaxado;
  • É melhor apanhar na “roda” que na “rua”.

Sequencias de Mestre Bimba

Para ajudar na didática e criar umas pautas para o ensino Mestre Bimba criou umas sequencias para que os iniciantes aprenderam a base da Capoeira. Assim eles tinham os recursos para poder se comunicar no jogo da Capoeira.

As sequencias de Mestre Bimba se usam até hoje e são uma ferramenta muito importante no ensino da Capoeira e todos os alunos das escolas de Capoeira Regional conhecem elas.

São 8 sequencias com ataques, defesas e movimentos desequilibrantes que todo aluno tinha que aprender e saber dentro da academia.

A Capoeira é uma arte infinita, tem milhões de situações e milhões de respostas a cada uma delas. Cada movimento estudado nas sequências pode se fazer com diferentes bases e assim criar novas situações de jogo.

Mestre Bimba dizia:

Os golpes básicos da capoeira são 17, e desses 17 mais sete podem ser feitos e assim por diante, sendo que qualquer movimento do corpo é aceito dentro de uma roda, desde que ele seja regido pelo som do berimbau e mantenha o ritmo da ginga.

Os golpes básicos que Mestre Bimba usou nas sequencias são:

  1. Meia lua de frente
  2. Cocorinha
  3. Armada
  4. Tesoura
  5. Negativa
  6. Cabeçada
  7. Martelo
  8. Rasteira en Pé/Banda
  9. Benção
  10. Queixada
  11. Galopante
  12. Godemi
  13. Joelhada
  14. Arrastão/Arpão de Cabeça
  15. Meia lua de compasso.
  16. Rolê

O Mestre Bimba também criou umas sequências para alunos formados conhecidas como a Cintura Desprezada. Os movimentos que ensinava nessa sequência se criaram para poder usar a Capoeira com lutadores de outras lutas e são principalmente movimentos de projeção.

Os movimentos da Cintura Desprezada são:

  • Balão de lado
  • Balão cinturado
  • Apanhada
  • Gravata alta.

Para mais informação pode visitar o nosso articulo das sequencias de Bimba e da cintura desprezada com imagens e links para ver a sua execução prática. .

Graduação

Até agora a Capoeira se dividia entre Capoeiristas e Mestres.

Ao reconhecimento de Mestre se chegava com o tempo e pelo reconhecimento da comunidade capoeirista.

Mestre Bimba queria motivar os seus alunos e criou um sistema de graduação para incentivar eles e também para se aproximar na sociedade baiana.

  • Bautizado – Azul

Quando o aluno sabia os movimentos básicos era aceitado o não pelos outros capoeiristas em um ritual chamado de Batizado, neste batizado o aluno recebia um apelido e se fazia corretamente as sequências recebia um lenço de cor azul que lhe conferia o grau de aluno já batizado.

  • Formado – Vermelho

O segundo grau era Formado com um lenço de cor vermelho. Estes alunos já tinham uma técnica bem trabalhada e conheciam movimentos mais complicados e especiais.

  • Formandos Especializados – Amarelo

O terceiro grau era o amarelo, uma graduação reservada aos alunos que passavam o curso de armas (facão e navalha).

  • Mestre – Branco

O quarto e ultimo grau era Mestre diferenciado pelo lenço de cor branco.

Mestre Bimba só formou 4 Mestres em sua vida.

A Música

A bateria na Capoeira não tinha muita regulamentação e numa roda você podia achar quase qualquer instrumento musical.

Mestre Bimba também fechou uma bateria concreta para as suas rodas. Ele sempre tinha um berimbau e dois pandeiros, a formação de bateria que chamou de Charanga.

Limitar a bateria a apenas 3 instrumentos fez com que todos os alunos tivessem mais tempo para jogar na roda.

Mestre Bimba desenvolveu 8 ritmos diferentes para o Berimbau, cada um deles destinado a comandar um tipo diferente de jogo.

Além de seus 8 toques exclusivos, a Capoeira Regional também é caracterizada por seus estilos distintos de música, que vieram em duas formas: Quadras e Corridos.

Quadras são como pequenos Ladainhas geralmente de apenas 4 versos (quad = 4). Corridos também foram caracterizados por versos curtos que foram cantados pelo Mestre, depois repetidos pelos alunos.

As músicas curtas e fáceis fizeram com que todos os alunos pudessem aprendê-las rapidamente e, portanto, o tempo e a atenção podiam ser focados no treinamento físico. A energia da roda era sempre alta, pois todos podiam participar e cantar.

Deixe uma resposta